11755839_865855900150676_8157015334402304625_n

Como vocês sabem, eu montei um grupo no facebook para compartilhar informações e acolher pacientes e familiares que convivem com o câncer. O grupo tem crescido muito em participantes e, principalmente, em interações entre as pessoas, o que me deixa muito feliz!

Para participar, clique aqui: https://www.facebook.com/groups/1603782839874106/

Ontem eu recebi de uma participante do grupo um vídeo curto, com imagens de pessoas carecas, falando de um concurso que a família dela está fazendo, para descobrir a melhor careca, seja de pacientes que estão fazendo quimioterapia ou não. Tudo isso num clima de leveza e bom humor que dá gosto! No final do texto eu vou colocar o link do vídeo e os contatos dela, para quem quiser enviar fotos de carecas para o concurso.

Mas o que eu queria comentar contigo é sobre atitude. Ao ver aquele vídeo eu comecei a refletir no quanto a nossa atitude com relação aos acontecimentos faz toda a diferença.

Nada em si é bom ou ruim, o que determina isso é a nossa atitude perante o fato. Por exemplo, ganhar na loteria pode ser uma coisa muito boa, caso a pessoa aproveite aquele dinheiro para viver mais feliz, ou pode ser um grande problema, caso ela não consiga lidar com o prêmio de forma saudável.

Assim também é com o câncer, sabia? Na pesquisa da minha dissertação de mestrado eu entrevistei muitos pacientes, homens e mulheres, de faixas etárias diferentes, em etapas diferentes do tratamento. E a grande maioria deles dizia que o câncer foi uma das melhores coisas que poderia ter acontecido na vida deles.

Te parece estranho? Pois para eles era de uma clareza cristalina! Ao se verem doentes, diante da possibilidade real de finitude, eles começaram a refletir sobre a vida. Sobre seus valores e desejos. E perceberam que era necessário fazer mudanças, desviar rotas, buscar outros caminhos.

Esses pacientes buscaram se aproximar das pessoas que lhes eram caras, fazer atividades prazerosas, rir mais (de situações, dos outros e sobretudo de si mesmos), transformar, encarando de forma positiva algo que poderia ser negativo.

Mas sei que também há pessoas que reagem de forma totalmente oposta, sentindo-se vítimas do mundo, injustiçadas, que ficam presas na reclamação e não conseguem sair dessa teia. Tais pacientes reagem pior ao tratamento, sofrem mais com efeitos colaterais e mal estar, tem uma qualidade de vida muito inferior à que poderiam ter caso sua atitude mental fosse mais positiva.

Esse texto não é apenas para quem está passando por um tratamento oncológico. É para qualquer um. Todos nós passamos por períodos difíceis na vida, reveses, perdas, dores variadas. Isso faz parte de viver e não temos como evitar. Mas podemos encarar de forma positiva, leve, vislumbrando possibilidades melhores. Isso só depende de cada um. Nada nem ninguém podem tirar de você o poder de viver bem, de ser feliz, de extrair da vida o que ela tem de melhor para te oferecer.

Pense nisso e escolha suas atitudes com cuidado!

https://www.facebook.com/marie.proffit.5/videos/vb.100001007891612/980599751983612/?type=2&theater

email: marie.proffit@bol.com.br e instagram @marie.proffit

Anúncios